A degeneração macular acomete 9% da população mundial com aumento da frequência principalmente conforme o envelhecimento da população. Há basicamente 2 formas: a seca e a úmida. Na forma seca, a mais comum (90% dos casos) o paciente apresenta drusas na região macular sem sintomas significativos associados. A forma úmida é mais rara porém apresenta um maior risco de evolução com baixa visão. Os pacientes podem relatar sintomas como diminuição da visão, mancha no centro da visão, metamorfopsia (“visão distorcida”) e outros. O diagnóstico é através do exame de mapeamento de retina podendo ser confirmado pelo OCT, angiografia com fluoresceína e angiografia com indocianina. A forma seca pode ter a sua evolução retardada através do uso de vitaminas com efeito anti-oxidante e a forma úmida com injeções intra-vítreas de medicações anti-angiogênicas.